Sem poesia, a vida seria a morte.


segunda-feira, 2 de julho de 2012


Uma janela de vidro se quebra nas minhas mãos,
os cristais brilham ao entardecer das minhas mãos..
O vento fresco atravessa essa nova liberdade
e mais um leve sorriso se abre em mim:

Agora tenho cacos para um novo vitral.

CQ

Nenhum comentário:

Postar um comentário